TASCOM Peering Policy


    A TASCOM é um provedor global de serviços de comunicação, com ênfase em possibilitar soluções de conectividade entre o Brasil e o resto do mundo. Operamos um backbone IP / MPLS global, bem como sistemas de cabos submarinos entre o Brasil, os Estados Unidos, a Europa e o Pacífico Asiático.

    Abaixo está um resumo da nossa política geral de peering:

  • Nós fazemos peering aberto.
  • Apoiamos o peering público e privado.
  • Nós não exigimos uma quantidade mínima de tráfego para peer.
  • Nós não consideramos as relações de tráfego para peer.
  • Embora não seja obrigatório, incentivamos o peering em vários locais mútuos.
  • Nós não exigimos um contrato para peer.
  • Nós não apoiamos contratos para peering público.
  • Podemos apoiar contratos para peering privado, se exigido pelo nosso parceiro de peering.
  • Nós não fazemos peering com o nosso IP de Trânsito ou acesso à Internet.
  • Nós não fazemos peering de redes de clientes de nossos clientes.
  • Anunciamos somente rotas TASCOM, rotas de clientes TASCOM e rotas de nossa rede global.
  • Anunciamos rotas de forma consistente em todas as sessões de peering, impedindo quaisquer implementações de engenharia de tráfego induzidas pelo cliente em toda a nossa rede.
  • Nós não fornecemos qualquer tipo de IP Transit ou acesso à Internet global nas sessões de peering. Não fornecemos acesso a clusters CDN on-net da TASCOM em sessões de peering.
  • Nós, em geral, não fazemos peering com servidores de rota. No entanto, podemos fazê-lo em casos específicos.
  • Nós trocamos rotas IPv4 e IPv6. Nós não fazemos filtragem baseada em prefixo ou em AS_PATH para rotas de pares.
  • Contamos com valores "max-prefix" para o controle de rotas. No entanto, para o conforto de nossos colegas, não aceitamos (ou anunciamos) espaço de endereço IP privado ou reservado, não aceitamos (ou anunciamos) números de AS privados e não aceitamos (ou anunciamos) rotas IPv4 mais longas que / 24 ou rotas IPv6 com mais de um / 48.
  • Encorajamos nossos colegas a confiar nos valores de "max-prefix" para o controle de rotas, a fim de reduzir a sobrecarga administrativa e acelerar a melhoria na qualidade de roteamento habilitada pelo peering. No entanto, entendemos que cada rede emprega sua própria política a esse respeito, e devemos respeitá-la.
  • Realizamos uma combinação rigorosa e extensa de filtragem baseada em prefixo, AS_PATH e "max-prefix" em todas as sessões do BGP com nossos clientes de downstream. Como tal, os nossos pares têm garantida uma boa e limpa rota quando analisam a TASCOM.
  • Filtramos (e eliminamos) o tráfego originado ou destinado a qualquer espaço de endereço IP privado ou reservado, em qualquer direção da sessão de peering.
  • Solicitamos aos nossos pares que não apontem uma rota padrão para a TASCOM, mesmo que isso não traga nenhum benefício para o par ofensor.
  • Não aceitamos rotas de clientes em troca de tráfego
  • Nós não executamos uRPF em nossos roteadores de peering, pois esses roteadores não possuem uma tabela BGP completa.
  • Exigimos que as sessões de peering sejam configuradas diretamente na LAN de peering pública ou no link de peering privado. Nós não suportamos sessões de peering do eBGP Multi-Hop.
  • Para obter uma lista de pontos de troca de tráfego e instalações de data centers onde você pode se conectar com a TASCOM no Brasil, visite nosso registro do PeeringDB. Além disso, verifique a lista de pontos de troca de tráfego fora do Brasil no registro do PeeringDB.




TASCOM is a global communications service provider, with emphasis on enabling connectivity solutions between Brazil and the rest of the world. We operate a global IP/MPLS backbone as well as submarine cable systems between Brazil, USA, Europe and Africa.


Below is a summary of our overall peering policy:

  • We peer openly.
  • We support both public and private peering.
  • We do not require a minimum amount of traffic to peer.
  • We do not consider traffic ratios to peer.
  • While not mandatory, we encourage peering in multiple, mutual locations.
  • We do not require a contract to peer.
  • We do not support contracts for public peering.
  • We can support contracts for private peering if required by our peering partner.
  • We do not peer with our IP Transit or Internet Access customers.
  • We may not peer with networks that are customers of our customers.
  • We announce only TASCOM routes, TASCOM customer routes and our global network.
  • We announce routes consistently across all peering sessions, barring any customer-induced traffic engineering implementations across our network.
  • We do not provide any kind of global IP Transit or Internet Access across peering sessions.
  • We do not provide access to TASCOM on-net CDN clusters across peering sessions.
  • We, generally, do not peer with route servers. However, we may do so in specific cases.
  • We exchange both IPv4 and IPv6 routes.
  • We do not do prefix- or AS_PATH-based filtering for peer routes. We rely on "max-prefix" values for route control. However, for the comfort of our peers, we do not accept (or announce) private or reserved IP address space, we do not accept (or announce) private AS numbers, and we do not accept (or announce) IPv4 routes longer than a /24 or IPv6 routes longer than a /48.
  • We encourage our peers to rely on "max-prefix" values for route control in order to reduce administrative overhead and speed up improvement in routing quality enabled by peering. However, we understand each network employs its own policy in this regard, and we shall respect it.
  • We perform a strict and extensive combination of prefix-, AS_PATH-, and "max-prefix"-based filtering on all BGP sessions with our downstream customers. As such, our peers are guaranteed of good, clean routing when they peer with TASCOM.
  • We filter (and drop) traffic sourced from or destined to any private or reserved IP address space, in either direction of the peering session.
  • We request our peers not to point a default route toward TASCOM, even though doing so will not provide any benefit to the offending peer.
  • We do not accept customer routes from peers.
  • We do not perform uRPF on our peering routers, as these routers do not hold a full BGP table.
  • We require that peering sessions be setup directly across the public peering LAN or private peering link. We do not support eBGP Multi-Hop peering sessions.

For a list of exchange points and data centers facilities where you can peer with TASCOM in Brazil, please visit our PeeringDB record. Also, check the list of exchange points outside of Brazil in PeeringDB record.